quinta-feira, 1 de novembro de 2007

.idade*.


A tatuagem na pele
Exibindo uma juventude já enrugada
As cores desbotadas e leves
Como uma carta de despedida não rasgada

A cegueira dos anos passados
O nervosismo calmo e distante
Passos lentos, arrastados
A certeza fugindo a todo instante

A pele toda é um solo nordestino
Sulcos de mágoa e alegria e tristeza
Amigo, tudo isso faz parte do destino
Um dia, acredita, perderás tua beleza

A tatuagem na pele ranzinza
Sendas nas palavras já empoeiradas
Olha, amigo, o céu é todo cinza
E estas flores só para ti foram arrancadas.



*Originalmente publicado em 20 e sete de agosto de 2000 e quatro

Nenhum comentário: