quarta-feira, 27 de agosto de 2008

.um camelô divino.

Estou vendendo a petente do meu coração
E também doando meus direitos sentimentais
Quem se arrisca a se endividar?
Quem quer ficar rico com minhas angústias?
Quem se habilita a me ajudar?
Tenho cinco filhos

O mercado da luxúria é tão tumultuado
Sugiro minhas importadas sensações
São da Bolívia, do Paraguai e afins latinos
Qualidade duvidosa, eu confesso
Mas lhanos em sua canalhice barata

Vejam a placa
Estou vendendo a patente do meu coração
E também doando meus direitos sentimentais
Não riam, pois não há graça
Dêem-me um samba para distrair apenas
Tudo custa muito pouco
É um e noventa e nove
Quase caridade

Tenho uma variz ulcerada acima do tornozelo
E cinco dentes postiços
Quem quiser pode levar o que ofereço

Deus lhe pague, meu filho


*Originalmente publicado no dia 13 de março de dous 1000 e seis

Um comentário:

humo. disse...

muito bom.